• 20140421_205145cor

Entrevista Dragão Urbano à Funorte-SOEBRAS

Entrevista concedida à Christine Antonini, Assessora de Imprensa da faculdade FUNORTE-SOEBRAS em Montes Claros-MG:

(Chris) De onde surgiu a vontade de escrever?

(Dragão) Gosto de escrever desde os tempos de criança. Elaborar redações era minha atividade escolar favorita e acabei levando esse “passatempo” para minha casa. Mas foi há alguns anos, depois de adulto, que comecei verdadeiramente a me dedicar a escrita. Desde então alimento com pequenos artigos e crônicas um blog de minha autoria chamado Dragão Urbano (www.dragaourbano.com.br). Em setembro de 2012 comecei a escrever a trilogia “Revolucionários” que em abril deste ano teve seu primeiro volume lançado nas principais livrarias do país, pela Editora Pandorga.

(Chris) É seu primeiro livro? Pretende escrever outros?

(Dragão) Sim, é meu primeiro livro. Já estou escrevendo os próximos livros da trilogia “Revolucionários”. Mesmo quando encerrar a série pretendo continuar escrevendo profissionalmente.

(Chris) Qual o assunto do seu livro?

(Dragão) O romance Revolucionários pretende “transportar” o leitor para o epicentro de uma Revolução no Brasil. Inspirado na “Primavera Árabe” e em emblemáticos revolucionários da história mundial como Gandhi (Revolução Indiana) e Robespierre (Revolução Francesa), as tramas e personagens dessa história irão levantar discussões sobre o sistema político nacional, a falência do atual sistema econômico mundial, o poder dos grandes veículos de comunicação e vários outros temas e polêmicas tão presentes e importantes em nossa sociedade, inclusive o papel da violência seja pelo Estado ou pelo cidadão. Eu diria que é um livro sobre o “Sistema”.

(Chris) Pelo que parece sua obra é fictícia, estou certa?

(Dragão) Sim, é uma obra fictícia. Mas diferenciar o que é real do que é ficção ao longo da trama não será uma tarefa fácil para o leitor. E essa é a ideia.

(Chris) Você é professor do curso de Administração e reza a lenda que pessoas que trabalham com exatas não gostam de ler, o que não é seu caso. Qual a importância da leitura?

(Dragão) O curso de Administração é extremamente versátil e interdisciplinar em seus conhecimentos. Quando falamos nas disciplinas de Marketing e Estratégia, por exemplo, estamos relativamente muito mais próximos das “humanas” do que das “exatas”. Mas você está certa, reza a lenda que aqueles que se interessam por números geralmente não se interessam pela leitura e vice-versa. O que é um grande problema, pois tanto os números quanto as letras são indispensáveis para qualquer profissional do nosso tempo. Com relação à leitura eu iria ainda mais longe, pois sua importância transcende o nível profissional e é fator determinante para a construção do intelecto do indivíduo. Os efeitos colaterais para aqueles que não possuem o hábito de ler são muitos: desde a péssima escrita até dificuldades na comunicação oral. Com pouco vocabulário, por exemplo, a pessoa tende a apresentar dificuldades em entender mensagens simples, pois em sua mente não possui a palavra/símbolo que irá conectar as informações que recebe e produzir conhecimento novo. Mas isso ainda não é o pior, se levarmos em conta que a maior parte do conhecimento humano verdadeiramente útil está registrado em forma escrita em algum lugar (livros, artigos, etc.), então aquele que lê pouco, pouco sabe, e se sabe pouco estará mais propenso a ser alienado e/ou manipulado ao longo de sua vida. Há um capítulo muito interessante que levanta essa nossa breve reflexão no livro Revolucionários.